...

Campina Grande - PB

Vendedora foi morta por golpes de chave de fenda, afirma delegado

25/11/2016

Na manhã desta sexta-feira (25), o delegado Marcos Paulo Vilela afirmou que a vendedora Vivianny Crisley foi golpeada sucessivamente com uma chave de fenda e seu corpo queimado com gasolina e um pneu.

Segundo o delegado, um dos primeiros suspeitos do crime, Allex Aurélio Tomás dos Santos, mentiu sobre sua versão e induziu a polícia ao erro, mas confirmou que a jovem foi morta porque gritava para ir para casa.

A dupla presa na segunda-feira (21), no Rio de Janeiro, Jobson Barbosa da Silva Júnior, conhecido como Juninho, e Fágner das Chagas Silva, apelidado de Bebé, contou versões semelhantes do caso, mas contraditórias com a que foi dada por Allex no início das investigações.

Segundo eles, o trio conheceu Vivianny na noite do crime, no bar em que eles estavam e de onde saíram de carro para procurar outro lugar onde encerrar a noite.

Foto: Reprodução/TVCB

Foto: Reprodução/TVCB

Como não acharam outro bar aberto, foram para a casa de Juninho, em Bayeux, próximo ao local onde o corpo de Vivianny foi encontrado.

Segundo a polícia, a outra contradição apontada no depoimento de Allex é que ele informou ter voltado ao local onde o corpo estava no dia seguinte para tocar fogo no carro usado no crime, que era roubado.

Allex disse que foi até o local com um quarto homem, que chegou a ser preso, mas depois a polícia identificou que essa informação não procedia e que ele fez tudo sozinho. Por isso, o delegado vai pedir que a prisão desse quarto homem seja revogada.

De acordo com os depoimentos dos três, a motivação do crime foi mesmo: o fato dela ter gritado dentro do carro e ficar “perturbando” o trio para ir para casa.

Ainda conforme a polícia, nenhum dos suspeitos revelou se havia a intenção de estuprar Vivianny.

FONTE: Da Redação

Veja também

Comentários