...

Campina Grande - PB

TJPB promove mutirão para resolver pendências junto à Energisa em CG

27/11/2016

Foto: Reprodução/Internet

foto: ascom

Cerca de 15 mil usuários dos serviços da Energisa, em Campina Grande, que estão com faturas pendentes, poderão entrar em acordo com a empresa e quitar os débitos.

Para facilitar esse entendimento, o Tribunal de Justiça da Paraíba, por meio do Núcleo Permanente de Mediação e Conciliação e da Coordenadoria dos CEJUSC’s da 2ª Região (Campina Grande – PB), realizará a partir desta segunda-feira (28) mais um Mutirão ProEndividados/Energisa.

As sessões de conciliação se estenderão até a sexta-feira (2 de dezembro), no Açude Novo, por trás do Terminal de Integração de Campina Grande, das 8h às 17h, sem intervalo para almoço.

As pessoas jurídicas também poderão ser beneficiadas pelo mutirão, vez que foi organizada uma banca específica para atendimento destes usuários, na CBMAE – Associação Comercial de Campina Grande, situada na Av. Floriano Peixoto, onde também serão realizadas sessões de conciliação com vistas a quitação de dívidas dessas pessoas.

Além de negociar débitos, os clientes de Campina Grande terão a oportunidade de assistir palestras sobre o consumo seguro e eficiente de energia e realizar o seu cadastro no aplicativo Energisa On, que funciona como uma agência virtual de atendimento, no smartphone.

“Estamos saindo dos nossos ambientes forenses para atender em praça pública, com a finalidade de proporcionar um atendimento facilitado ao cidadão, ajudando-o a resgatar a sua dignidade, muitas vezes atingida pelo superendividamento”, esclareceu a Juíza Ivna Mozart Bezerra Soares Moura.

Ainda segundo a magistrada, a medida ajuda também a reduzir o quantitativo de demandas judiciais, ante à ênfase nas conciliações pré-processuais.

“Nosso interesse maior é pacificar os conflitos de massa, colaborando, assim, para a consolidação da cultura da conciliação. Ademais, em época de crise, oferecer condições favoráveis para quitações de débitos é ajudar no desenvolvimento do país.”, assegurou a juíza.

FONTE: Da Redação

Veja também

Comentários