...

Campina Grande - PB

Seduc forma primeiras turmas do Projeto de alfabetização solidária 

23/11/2016

Desenvolvido através de uma parceria entre a Secretaria de Educação do Município (Seduc), o Instituto Mary Kay e a ONG AlfaSol, o projeto de alfabetização solidária realizou esta semana a formatura das cinco primeiras turmas de Campina Grande.

Duas dessas turmas, que funcionam no Santuário da Divina Misericórdia e na Casa de Acolhida São Paulo da Cruz, são formadas por ex-dependentes químicos e outros alunos em situação de vulnerabilidade social.

Por não poderem se ausentar do local em que moram, a cerimônia de formatura foi realizada no início da semana nas duas instituições, onde as aulas também foram ministradas pelos alfabetizadores ao longo do ano.

Já as outras três turmas participaram nesta terça-feira (22) da última solenidade de formatura, realizada no Centro de Tecnologia Educacional (CTE).

Ao todo, 80 alunos de Campina Grande participaram do programa, que é desenvolvido nacionalmente pela AlfaSol e tem como finalidade iniciar o processo de alfabetização de jovens e adultos, promovendo inclusão social e transformando a vida de quem não teve a oportunidade de frequentar a escola ou concluir a educação básica na idade adequada.

As aulas ocorrem de segunda a quinta-feira, durante oito meses. Nesse período, com o apoio pedagógico da Seduc e suporte financeiro do Instituto Mary Kay, os alunos iniciam o processo de leitura e escrita e adquirem conhecimentos em outras áreas, como ciências humanas e da natureza.

Ao parabenizar os alunos pela decisão de retomar os estudos e pela conclusão da primeira etapa do processo de alfabetização, a secretária de Educação do município, Iolanda Barbosa, afirmou que a Rede Municipal de Ensino vai garantir vaga nas turmas de Educação de Jovens e Adultos (EJA) para os participantes do projeto que tenham interesse em continuar estudando.

Já a representante da AlfaSol, Maristela Miranda, agradeceu a parceria exitosa iniciada esse ano com a Seduc, ao destacar que a alfabetização de jovens e adultos, além de ser um símbolo de superação, é um direito que precisa ser garantido a quem não teve a oportunidade de frequentar a escola na idade recomendada.

FONTE: Da Redação com Codecom/CG

Veja também

Comentários