...

Campina Grande - PB

Preservação do habitat de corujas-buraqueiras chama a atenção de morador em JP

01/01/2017 às 9:10

Fonte: Secom/JP

fotos: Secom/JP

Há 40 anos seu Lourival José Alexandre mora no Bairro das Indústrias. Natural de Sapé, viúvo, pai de sete filhos e hoje aposentado, seu Lourival trabalhou como motorista durante 26 anos em João Pessoa.

Hoje continua complementando a renda como vendedor e faz questão de acompanhar o crescimento do bairro, com o surgimento das novas habitações, calçamento das ruas e todas as mudanças que a interferência urbana vem promovendo. Seu Lourival conhece cada planta, cada bicho que mora ali. “Seu Louro”, como é chamado pelos vizinhos, é o conhecimento local do bairro.

Seu Lourival entrou em contato com os técnicos da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por meio da equipe da Secretaria de Meio Ambiente (Semam), quando localizou, no Loteamento Jardins, a existência de uma família de corujas.

Ele estava preocupado com o bem estar e a manutenção das aves e chamou a atenção dos técnicos, que foram ao local e passaram a acompanhar os animais. Esse acompanhamento vem sendo feito pelo biólogo Antônio Cláudio C. de Almeida, da Divisão de Estudos e Pesquisas (Diep) da Semam, que vistoriou a área, onde a maioria dos lotes ainda está desocupada e todas as vias de acesso estão pavimentadas.

As aves localizadas são conhecidas pelo nome popular coruja-buraqueira (Athene cunicularia) e no local compõem um grupo familiar. Foram observadas duas aves jovens, que se mantinham no entorno do ninho, um buraco escavado no solo.

Os técnicos da Semam observaram ainda vestígios de atividade de alimentação na entrada dos ninhos, o que indica a atuação de aves adultas na manutenção dos jovens, que ainda se encontravam no local. Foram registrados restos de ossos de pequenos vertebrados, asas e exoesqueletos de insetos.

Para o biólogo da Semam, Cláudio Almeida, “estamos lidando com o conhecimento local de nossa biodiversidade. Seu Lourival já está sensível e esse conhecimento local atualmente é um dos elementos de grande importância para conservação. As corujas-buraqueiras utilizam à área como ‘área de vida’.

Antes da instalação do loteamento, o local compreendia uma vegetação de tabuleiros, com paisagem aberta, ecossistema característico ocupado por essa espécie. Nossa função agora é orientar o proprietário do Loteamento, sugerindo que no local seja mantida uma área verde, sem construção, para preservação do habitat das aves. A existência de área verde e equipamentos públicos, em loteamentos, é inclusive uma exigência legal”, concluiu.

Divisão de Estudos e Pesquisas

A Divisão de Pesquisas e Estudos ambientais da Semam é formada por profissionais como biólogos, geógrafos, arquitetos, engenheiros ambientais entre outros, que tem o papel de vistoriar e fornecer pareceres técnicos para os mais diversos empreendimentos.

Os profissionais avaliam as condições de fauna e flora da cidade, sugerindo soluções, elaborando mapas, localizando as regiões e toda sua diversidade ambiental.

Veja também

Comentários