...

Campina Grande - PB

Policiais participam de atividades pelo enfrentamento da violência doméstica

30/12/2016 às 17:25

Fonte: Da Redação com Secom/PB

“Ser homem é dizer não à violência doméstica”. Empunhando essas e outras frases de enfrentamento da violência contra a mulher, policiais civis da Paraíba participaram da última atividade promovida pelas Delegacias Especializadas de Atendimento a Mulher (Deam), em alusão aos 16 dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra a Mulher, evento mundial e realizado anualmente desde 1991, em 160 países.

Participaram da ação gestores da Segurança Pública e da Defesa Social, como o secretário Cláudio Lima, o secretário executivo, Jean Nunes, o delegado geral de Polícia Civil, João Alves de Albuquerque, e seu adjunto, Isaías Gualberto, entre outros delegados e investigadores, que na atividade policial lidam diretamente com casos que envolvem violência contra vítimas do sexo feminino.

A coordenadora das Deam, delegada Maísa Félix, destacou que na Paraíba a campanha dos 16 dias de ativismo foi estendida até o fim de dezembro, a fim de contemplar todas as regiões do Estado.

Foto: Ascom

“Com essa campanha mostramos uma integração ainda mais forte dentro da Polícia Civil, principalmente com o público masculino da instituição. Todos participaram, todos apoiaram, mostraram engajamento na luta contra a violência contra a mulher. Essa iniciativa é muito importante, pois mostra que a Polícia está unida e pronta para enfrentar e combater casos de violência feminina”, disse a delegada.

O delegado geral adjunto da Polícia Civil, Isaías Gualberto, ainda reforçou que a campanha das Delegacias da Mulher mostra o comprometimento dos policiais na defesa dos direitos das mulheres e na preservação de sua integridade física e psicológica.

Foto: Ascom

“É importante nos engajarmos nessa causa e, principalmente com o projeto de valorização da mulher em todas as esferas. É preciso sempre o apoio a políticas públicas de combate à violência feminina, que vem ocorrendo, como a exemplo do bom funcionamento do SOS Mulher e da criação de várias de delegacias de atendimento a mulher, em vários municípios da Paraíba”, frisou Gualberto.

A Polícia Civil da Paraíba conta hoje com 15 estruturas especializadas de atendimento à mulher no Estado.

As Delegacias estão localizadas nas cidades de João Pessoa (zonas norte e sul), Santa Rita, Bayeux, Cabedelo, Campina Grande, Guarabira, Mamanguape, Patos, Cajazeiras, Monteiro, Sousa, Picuí, e ainda existem dois núcleos que recebem mulheres vítimas de violência, nos municípios de Queimadas e Esperança.

Números – De janeiro a novembro de 2016, as Deam da Paraíba atenderam 9.736 mulheres e instauraram 4.116 inquéritos policiais relativos à violência doméstica. Além disso, foram solicitadas 3.293 medidas protetivas.

Em relação ao programa Mulher Protegida, que distribui aparelhos com aplicativo que liga a vítima diretamente à Delegacia da Mulher e ao Centro Integrado de Operações Policiais (Ciop), foram atendidas 174 mulheres da região metropolitana de João pessoa e 43 da região metropolitana de Campina Grande.

Até o fim de novembro, 102 mulheres estavam ativas no programa, que dispõe de 150 aparelhos e prevê visitas regulares a fim de fiscalizar o cumprimento de medida protetiva expedida pela Justiça contra o agressor.

Veja também

Comentários