...

Campina Grande - PB

Pesquisa do Ipea diz que Paraíba apresenta alto desenvolvimento humano

24/11/2016

O desenvolvimento humano na Paraíba apresentou um avanço significativo no período de 2011 a 2014, passando da faixa de médio para alto desenvolvimento humano.

Isso é o que atesta o estudo Radar IDHM, realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) em parceria com a Fundação João Pinheiro e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), divulgado esta semana.

De acordo com a pesquisa, embora o período coincida com o início da crise no país, os paraibanos continuaram vivendo mais, estudando mais e ganhando mais.

O indicador na Paraíba passou de 0,681 em 2011 para 0,701 em 2014, representando um salto de 0,020 no IDHM no período.

O levantamento mostra ainda que o índice registrou um crescimento a cada ano: em 2012 era 0,682 e em 2013 era 0,692.

Pelo estudo, o IDHM Longevidade na Paraíba está na faixa do alto desenvolvimento humano, passando de 0,777 em 2011 para 0,794 em 2014, o que significa uma evolução de 0,017, mais do que a registrada no país, que foi de 0.016.

A mesma taxa de evolução foi observada no quesito renda, que passou de 0,661 para 0,678. Na educação o avanço foi mais significativo, embora o índice continue na faixa média: o IDHM  cresceu 0,027, saltando de 0,604 em 2011 para 0,631 em 2014.

O Radar IDHM utiliza informações da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), para monitorar tendências desse Índice – e de 60 indicadores socioeconômicos – nos anos intercensitários.

Segundo a avaliação, de 2011 a 2014, o IDHM do Brasil apresentou uma tendência de avanço de 0,023. Todas as 27 Unidades da Federação apresentaram tendências de avanços do IDHM no período.

As maiores tendências de avanços foram observadas no Amapá (0,047), Amazonas (0,037) e Piauí (0,034). Por outro lado, as UFs que apresentaram as menores tendências de avanços foram Roraima (0,011) Goiás (0,010) e Sergipe (0,002).

 

 

FONTE: Da Redação com Secom/PB

Veja também

Comentários