...

Campina Grande - PB

Assalto à empresária foi premeditado, diz delegada

29/12/2016 às 15:43

Fonte: Da Redação

O suspeito Bruno Franklin Sousa Santos, 24 anos, “Bruno Cocão”, morador do bairro da Palmeira, em Campina Grande, foi preso pela Polícia acusado de matar a empresária Célia Márcia dos Santos Cirne, 70 anos, no último sábado, 24, quando ela saía de um estacionamento na Rua Getúlio Vargas, Centro da cidade.

Em coletiva de imprensa realizada na manhã desta quinta-feira, 29, a Polícia Civil informou, através da delegada Ellen Maria, que Bruno foi o autor do disparo contra Célia e que ele foi reconhecido pelas testemunhas do crime.

– Existem muitos estabelecimentos naquela rua com câmeras de segurança e passamos a solicitar as imagens, através de ofício. Recebemos uma informação da localização do suspeito, o conduzimos até a delegacia, e duas testemunhas do crime o reconheceram. Um delas teria ficado “cara a cara” com o suspeito após o crime – comentou.

A delegada também confirmou que o assalto foi planejado.

– Ao que parece, pelas imagens de segurança, o assalto foi premeditado.  Verificamos que o atirador, que seria o Bruno, chegou ao local um pouco antes procurando onde seria o portão (do estacionamento). Alguns minutos depois aparece o motociclista procurando o local. Quando o portão é aberto, o Bruno, com a arma em punha, rende o segurança, dá a volta pelo veículo da empresária e se posiciona na porta dela tentando abri-la e pedindo o dinheiro. A vítima, em estado de choque, não consegue abrir de forma imediata à porta ele atira contra ela, que a atingiu letalmente – explicou.

Ellen afirmou que as investigações continuam para descobrir o outro suspeito envolvido no crime, pois o acusado de atirar na empresária segue sem confessar o latrocínio [roubo seguido de morte].

– Ele (Bruno) não confessa ter sido o autor do crime. O suspeito deu alguns álibis, mas que nós já verificamos e que não vem se confirmando. Inclusive, ele alterou as próprias características físicas após o crime. Já foi provado que no mesmo sábado, durante à tarde, ele pintou o cabelo e estava com tudo pronto para fugir da cidade – pontuou.

Entenda o caso:

A empresária Célia Márcia Santos Cirne, 70 anos, proprietária da loja Brasil Atacado localizado na rua João Pessoa, em Campina Grande, morreu no início da tarde do último sábado, 24, após sofrer um tiro na região da cabeça durante um assalto.

Ela saia de um estacionamento localizado na rua Getúlio Vagas quando dois bandidos armados, em uma moto, a abordaram.

Eles anunciaram o assalto, e, segundo a polícia, a vítima teria se assustado e os bandidos entendido que ela estaria reagindo a ação. Os acusados ainda conseguiram levar a bolsa da vítima.

Depois do tiro, a mulher teria perdido o controle do carro e atravessado a rua desgovernada. Um outro veículo, que vinha na direção contrária, não conseguiu evitar a batida.

A mulher ainda foi socorrida pelo Samu para o Hospital de Emergência e Trauma, mas não resistiu a gravidade dos ferimentos e morreu.

Imagens de circuito internos das lojas próximas ao local do crime foram divulgadas pela Polícia, e mostram um homem correndo com uma bolsa em uma das mãos em direção a uma motocicleta, onde um comparsa o aguardava. As imagens ajudaram na investigação do caso.

Célia Márcia Santos Cirne era casada com o médico Valfredo Cirne e mãe do empresário Henrique Cirne, que atualmente está desenvolvendo empreendimento imobiliário na cidade.

 

Veja também

Comentários