Jornalista há quase 30 anos, escreve a coluna Aparte desde 1991. Já trabalhou em TV, rádio e foi editor chefe do Jornal da Paraíba e colunista das TVs Cabo Branco e Paraíba. É comentarista político das rádios Campina FM, Caturité AM e editor do portal de notícias Paraibaonline.

segunda-feira, 02/01/2017

PMCG vai comprar os ´Caçadores´

Última tentativa

Na virada do ano, o prefeito Romero Rodrigues (PSDB-CG) enviou uma mensagem sonora aos novos vereadores de sua base política, apelando para que “a posse e eleição da nova mesa diretora fosse feita com paz, harmonia, sabedoria e discernimento. Que tudo ocorra bem, dentro da normalidade, da tranquilidade e de dentro do que foi discutido previamente, sem atropelo”.

Quatro mãos

“Vamos fazer um mandato muito melhor do que o primeiro. E todo o êxito e ações serão compartilhadas com todos vocês” acrescentou o prefeito, enfatizou.

Preliminar

No começo da tarde, antes da sessão solene de posse, houve um encontro informal de vários vereadores campinenses numa sala anexa ao plenário da Câmara.

Contestação

Pairava no ar que somente a vereadora Ivonete Ludgério (PSD) sairia como presidente naquela tarde, ou seja, a eleição da mesa diretora para o 2º biênio encontraria óbices regimentais e políticos.

Abreviação

Veio a sessão de posse e a existência de uma única chapa registrada fez com que o vereador Pimentel Filho (PSD), que presidia a parte inicial dos trabalhos, verbalizasse a proposta de votação em bloco para todos os cinco cargos da mesa diretora, o que foi prontamente aceito.

Unanimidade

Nesse momento, a Câmara respirou unanimidade, com Ivonete obtendo todos os votos possíveis – 23.

Outro pleito

Ao cabo do primeiro pronunciamento de Ivonete como presidente, o vereador Marinaldo Cardoso (PRB) pediu que ela colocasse em votação um requerimento de sua autoria, com a subscrição de 17 vereadores, para que fosse realizada, naquele momento, a eleição da mesa diretora para o 2º biênio.

Contraponto

Coube ao vereador Olímpio Oliveira (PMDB) questionar a conveniência do requerimento, o que foi do agrado de parte dos vereadores da base governista.

Descabido

Em sua argumentação, Olímpio disse que aquela era uma “sessão festiva, e não deliberativa”, considerando em seguida “inoportuno” o requerimento de Marinaldo, algo que feria a “ritualística”.

Juramento

O vereador do PMDB insistiu que o requerimento de Marinaldo era “extemporâneo”, ponderando aos colegas da nova legislatura que todos tinham acabado “de jurar cumprir a Lei Orgânica do Município e o Regimento Interno”.

Votar

O vereador Alexandre do Sindicato (PHS) pediu a palavra para solicitar a Ivonete que o requerimento fosse lido, e a partir dai ela “tomasse as medidas que achasse necessárias”.

Endosso

“Olímpio tem total razão”, opinou Pimentel Filho, já sentado na bancada, ao lado dos demais vereadores, com o lembrete adicional de que a presidente “tem autonomia para deliberar, mas à luz do Regimento Interno”.

Pausa

A nova presidente da Câmara campinense convocou os vereadores para uma reunião reservada numa sala anexa, suspendendo a sessão solene por 15 minutos.

Quebra pau

A conversa foi tensa, com diversas opiniões se conflitando, ao ponto de dois vereadores terem literalmente ´se estranhado´ e partido para a confrontação física: Lula Cabral (PRB) e Alexandre do Sindicato, por discordância acerca do desdobramento a ser dado ao impasse.

 

Hora extra

Foi preciso que o policial militar Sargento Neto – que estreia como vereador na atual legislatura – fizesse uso dos dons profissionais para conter os ânimos, juntamente com o vereador Teles Albuquerque (PSC), outro ´debutante´ em plenário.

Pressa

A tese que acabou prevalecendo foi a de que era preciso um rápido desfecho, já que se aproximava a hora da sessão solene do Legislativo, no Teatro Municipal, para dar posse a Romero no 2º mandato.

Sem deliberar

Até para prevenir novas confrontações, a reunião reservada foi concluída e, ao regressar ao plenário, Ivonete anunciou que o requerimento de Marinaldo seria encaminhado à Secretaria de Apoio Parlamentar para tramitação.

Sem urgência

A presidente justificou a alternativa escolhida, “diante dos argumentos” que foram feitos “e da não necessidade de urgência”. “Gostaria muito de estar procedendo de outra maneira”, emendou.

Sem demorar

Os vereadores que respaldam incondicionalmente a candidatura de Marinaldo desejam que a eleição ocorra ainda este mês, se possível esta semana.

Repartir

Ao ser empossado ontem para o 2º mandato, o prefeito pessoense Luciano Cartaxo (PSD) anunciou que iria se reunir com aliados, nesta 3ª feira, para definir os auxiliares que passarão a integrar o segundo escalão.

´Estou aqui´

O vice-prefeito da Capital, Manoel Junior (PMDB), declarou ontem que “eu disse a todos e provei que viria assumir o meu cargo de vice-prefeito de João Pessoa”, numa menção ao noticiário de que estaria hesitante em renunciar ao mandato deputado federal.

Desconhecimento

Sobre a especulação de que a sua dúvida residia no fato de deixar a Câmara Federal significar perder o foro privilegiado, o vice considerou que “isso são ilações despropositadas de adversários que, efetivamente, nem conhecem a minha vida pública para fazer esse tipo de ilação descabida”.

Ciumeira

Para o peemedebista, ”tinha muita gente que estava com dor-de-cotovelo e aumentou a dor porque eu assumi o cargo”.

Afago em…

Com a votação de 26 dos 27 vereadores da nova legislatura da Câmara pessoense – apenas Tibério Limeira (PSB) se absteve de apoiá-lo -,  o vereador Marcus Vinícius (PSDB) foi eleito ontem presidente do Poder e se permitiu, no primeiro discurso, um agradecimento público ao prefeito.

… Cartaxo

“Sua contribuição foi fundamental para o estabelecimento da unidade da bancada aliada em harmonia com partidos e vereadores de oposição. Este é um exemplo que nos fortalece e nos leva em busca de novas conquistas”, discursou o novo presidente.

Em tempo

Há muito que se falar ainda sobre as posses de ontem. Fico devendo para as próximas edições.

La & loa

O senador Cássio não prestigiou, no mês passado, a diplomação do prefeito Romero Rodrigues. Repetiu a dose ontem e não apareceu para a cerimônia de posse.

Só lembrando

La Fontaine, poeta francês (ele também era chegado numa fábula), dizia que “a ausência é a causa de todos os males”.

Primeiras medidas

Para encerrar, por hoje, destaco que em seu discurso de posse – longos 50 minutos – Romero Rodrigues anunciou a desapropriação do Clube dos Caçadores (BR 230) para a instalação de um zoológico; a construção de instalações modernas para o Hospital da Criança; e a compra do prédio da antiga escola Cassiano Pereira (que pertencia ao Sesi, na rua Getúlio Cavalcante) no bairro da Liberdade – único bairro da cidade que não possui uma escola municipal em instalações próprias.

O PP ainda procura o seu espaço na PMCG...